gameficação na gestão de projetos

Gamificação: engaje sua equipe na gestão de projetos

Utilizar jogos como ferramenta de entretenimento é algo que faz parte da cultura do ser humano há milênios. E, ainda nos dias atuais, continua integrando o cotidiano da sociedade moderna. Desde as olimpíadas, passando por jogos digitais até os de tabuleiro. No mundo dos negócios, não poderia ser diferente: estamos falando sobre gamificação!

A gamificação na gestão de projetos e no treinamento de colaboradores é uma tendência em ascensão. E está transformado os processos internos e o planejamento estratégico das empresas.

Mas para que você tenha uma noção mais ampla sobre o assunto, neste artigo mostraremos: 

  • O que é gamificação; 
  • Como a gamificação atua na gestão de projetos; 
  • Como a motivação pode ser a chave para o sucesso desta estratégia. 

Continue acompanhando a leitura!

Motivação: a chave do sucesso

Manter uma equipe motivada para atingir metas e continuar sempre em busca dos melhores resultados para o negócio não é uma tarefa fácil. Principalmente em um cenário tão competitivo como o que vivemos atualmente.

Sendo assim, nada melhor do que uma solução descontraída e eficiente, capaz de motivar e engajar todo o time de colaboradores. A gamificação é uma prática que tem como um de seus principais efeitos o aumento da produtividade. Ao mesmo tempo em que proporciona um ambiente mais agradável e melhora o bem-estar da equipe. 

Não é à toa que a novidade tem ganhado cada vez mais espaço nas organizações modernas. Sendo amplamente utilizada como recurso para engajar e motivar clientes e funcionários. Por isso, nos próximos tópicos entenderemos o que é gamificação e como ela pode ser utilizada na gestão de projetos da empresa. 

O que é gamificação?

Originada do termo em inglês “gamification”, gamificação consiste na aplicação de mecânicas utilizadas em jogos, em sua maioria virtuais, para cativar e engajar pessoas por meio de um sistema de desafios e bonificações.

Além de aumentar o engajamento, a metodologia tem auxiliado muitas empresas e funcionários na resolução de problemas. Além de proporcionar o aprimoramento de suas técnicas de aprendizado, instigando-os por meio da participação em determinados jogos.

A gamificação deixa claro como os seres humanos se relacionam positivamente com jogos, independentemente deles serem analógicos ou eletrônicos. O fato é que a sociedade sempre teve uma tendência natural a apreciar e participar de jogos. Por exemplo, na Grécia antiga, haviam os jogos olímpicos, assim como em Roma haviam as lutas entre gladiadores. 

equipe conhecendo o que é gamificação

Dito isso, podemos afirmar que o principal objetivo da gamificação é despertar a curiosidade de seus jogadores, além de qualificá-la. Concedendo recompensas aos participantes após cada ação ou tarefa executada com sucesso. Sem dúvida, essa é a chave que garante o sucesso da metodologia. Ajudando as empresas a atingirem seus objetivos tanto na qualidade dos produtos e serviços oferecidos, quanto nos processos internos.

Como funciona a gamificação?

Depois de realizar um levantamento a respeito dessas características humanas, Jane McGonigal, designer de games e PhD, identificou que, independentemente de gênero, idade e outros aspectos, todos os jogos contam com quatro características básicas:

  • Objetivo/meta;
  • Regras;
  • Participação voluntária;
  • Sistema de feedback.

Dessa forma, estas quatro características que sustentam a gamificação têm servido como base para que a metodologia seja utilizada por empresas de diversos setores do mercado. Incluindo grandes marcas como Starbucks (com o Starbucks Rewards) e Duolingo. Uma vez que ajudam a fidelizar clientes por meio da interação e do engajamento.

No caso da Duolingo, por exemplo, os usuários têm a oportunidade de aprender um novo idioma de maneira descontraída e divertida. É como se estivessem participando de um game baseado em pontuação e recompensas, à medida em que os níveis são atingidos.

Uma empresa pode se beneficiar com esta estratégia, utilizando os mesmos recursos para motivar seus colaboradores na resolução de questões cotidianas do negócio. Aumentando, assim, os resultados por meio da tecnologia e inovação.

Regras, meta, feedback e participação voluntária

A meta consiste no motivo pelo qual o jogador está interagindo com um jogo. Para promover a excelência do personagem, fazendo-o avançar níveis mais altos à medida em que ele se desenvolve, como na modalidade MMORPG. Ou para concluir todas as fases, como em jogos de arcade e plataforma.

Já as regras, resumidamente, determinam a forma como o jogador deve se comportar dentro do game. Trata-se do conjunto de mecânicas que o player deve seguir para avançar nos níveis e atingir a meta. No xadrez, por exemplo, as regras estabelecem que um jogador precisa encurralar o rei inimigo até que seu adversário se renda. 

O sistema de feedback é responsável por mostrar o quanto o jogador está progredindo em relação ao objetivo do jogo. A finalidade dessa característica é manter o player motivado e engajado.

jogo de tabuleiro mostrando o local de início

Por fim, o fator participação voluntária. Consiste, basicamente, na conscientização do usuário no que se diz respeito às regras, ao sistema de feedback e à meta que o jogo tem. Quando estas quatro partes se relacionam bem, há harmonia e os resultados são positivos.

Gamificação na gestão de projetos

Como mostramos até aqui, a gamificação pode ser funcionalmente implementada nos mais variados contextos. Entre eles, encontra-se a gamificação institucional, cada vez mais procurada por gestores e empresários com o objetivo de aumentar a motivação de suas equipes. Além de garantir índices positivos de assimilação do que é apresentado nos treinamentos e gerenciamento os projetos.

As organizações notaram que, para otimizar o foco de seus colaboradores, é preciso trabalhar com algo envolvente, interativo e divertido. Para, assim, certificar que eles realmente aprendam o que é passado.

A seguir, uma breve explicação sobre o que é gestão de projetos. Para que você possa entender como a gamificação pode gerar vantagens para esta área da empresa! 

O que é gestão de projetos?

O tema gestão de projetos em uma empresa é bastante amplo, mas abordaremos a questão de forma simplificada. No gerenciamento de projetos há uma padronização que conceitua técnicas, ferramentas e áreas de conhecimento. Essa normatização está reunida no guia para conjunto de conhecimentos de gerenciamento de projetos. Ou Project Management Body of Knowledge (PMBOK), como também é conhecido.

De acordo com o guia, um projeto se trata da aplicação temporária de um esforço empreendido para desenvolver um produto, serviço ou objetivo único e exclusivo. Quando falamos sobre planejamento estratégico, é comum que o termo “plano de ações” seja designado para se referir a um projeto. Lembrando que ele deve ter começo, meio e fim previamente definidos.

equipe organizando seu processo de gamificação

Em outras palavras, um projeto pode englobar do simples esboço de uma ideia para um produto até os mais complexos processos para o seu desenvolvimento.

Como a gamificação atua na gestão de projetos?

Um dos aspectos mais benéficos da gamificação no meio organizacional é que a metodologia oferece recursos de simulação. Ou seja: contextos operacionais e cenários recorrentes na empresa podem ser reproduzidos com a finalidade de testar as habilidades dos profissionais da equipe. E, é claro, ensiná-los a encontrar as soluções mais adequadas!

Nas simulações, os participantes podem ser expostos a uma situação familiar ou distinta. E deverão determinar quais os melhores procedimentos para solucioná-la, estimulando o instinto de tomada de decisões.

Existem também os casos de criação, nos quais a criatividade dos colaboradores é estimulada. Neste tipo de simulação, precisam elaborar ações interessantes e úteis a partir do zero. Para que, ao final, o resultado seja um serviço ou produto realmente funcional e proveitoso para os clientes.

Quando o treinamento é finalizado, os participantes devem ser bonificados com prêmios. Isto ajuda a humanizar a participação, estimular a absorção do conhecimento e a desenvolver a empatia entre os envolvidos. Logo, as falhas e erros não são encarados como algo pesaroso ou negativo, mas sim como uma forma de incentivar a equipe a tentar algo novo.  Além de contemplar o que não funcionou nos procedimentos anteriores.

A gamificação empresarial permite que o funcionário falhe, mas sem que isso prejudique os lucros e objetivos da organização ou afete sua autoestima. Fazendo com que o profissional compreenda os motivos pelos quais sua tomada de decisão não foi a mais adequada e qual é o melhor caminho a ser seguido na próxima vez! 

Colocando a gamificação em prática

Agora que você já entende a relevância da gamificação para a gestão de projetos em uma empresa, confira os principais passos para a metodologia ser aplicada satisfatoriamente! 

Defina um objetivo

Primeiramente, para chegar a um objetivo, é fundamental saber qual é a missão da equipe de gestão de projetos. A gamificação pode ser bastante útil pelo fato de permitir a experimentação de um projeto específico ou a um departamento em geral. Da mesma forma, pode ajudar também no lançamento de um produto ou na aplicação de treinamentos. Antes de iniciar o jogo, é preciso ter isso definido com clareza! 

Conheça os jogadores

Assim como em qualquer jogo, antes que qualquer passo seja dado, é preciso que os jogadores sejam definidos com precisão. Além disso, para garantir a eficiência da estratégia e a assertividade dos resultados, é imprescindível conhecer bem os jogadores.

Logo, defina quem serão os líderes, assim como as tarefas a serem realizadas por cada colaborador dentro do objetivo. Quanto maior a riqueza e precisão dos detalhes, maiores as chances de que a metodologia tenha 100% de aproveitamento pela equipe.

Esclareça os critérios

Como já mencionamos, para que seja funcional, todo jogo precisa de regras perfeitamente estabelecidas. Pois são os critérios que nortearão a estratégia do começo ao fim. Sendo assim, é preciso definir, por exemplo:

  • Como funciona o sistema de pontuação;
  • Quais são os possíveis bônus e recompensas;
  • O que pode e o que não pode ser feito;
  • Como funciona o ranking;
  • Como ter um feedback simultâneo.

Estabeleça todos os pontos para que o jogo seja divertido, interativo e, acima de tudo, educativo! 

Descreva a mecânica

É muito importante que todos os jogadores envolvidos conheçam minuciosamente a mecânica do jogo. Ou seja: eles precisam saber:

  • Se existem diferentes níveis;
  • Quais as ferramentas disponíveis para cumprir com as missões; 
  • Se o jogo consiste em uma competição colaborativa ou individual;
  • Como serão feitas as premiações e classificações.

Faça um teste

Realize testes de funcionalidade antes de colocar o jogo em prática. Para isso, reúna um pequeno número de colaboradores para testar a interface e os comandos. Isto ajudará a identificar possíveis falhas dentro da mecânica. Você não vai querer descobrir que existem problemas de execução entre um nível e outro durante a aplicação de um treinamento, certo?

Acompanhe os resultados

Independentemente da aplicação do jogo ser analógica ou digital, o fato é que é preciso acompanhar os resultados de tempos em tempos. Somente assim será possível mensurar o índice de aproveitamento, engajamento e motivação dos profissionais.

time de líderes olhando o ranking com o resultado dos jogos

O software Scopi, por exemplo, oferece o recurso de cadastramento de indicadores importantes para análise dos resultados. Tanto do desempenho dos colaboradores como do workflow do jogo em si. Logo, todos podem acompanhar o andamento do game em tempo real.

Ofereça feedbacks e premiações

É importante mencionar que o engajamento da equipe não terá muitos efeitos se ela não for reconhecida. Por isso, é essencial que ao final do jogo os jogadores recebam feedbacks sobre seu desempenho e participação. Também é importante ouvir a opinião dos participantes em relação à experiência.

Desse modo, os gestores terão informações úteis sobre os pontos que podem ser melhorados e o que deve ser mantido. Lembrando, ainda, que é necessário estabelecer uma premiação que faça o esforço valer a pena. Por exemplo:

  • Bonificações;
  • Promoções;
  • Cursos;
  • Eventos;
  • Workshops;
  • Viagens.

Quais resultados a gamificação pode gerar?

Dentre os inúmeros benefícios observados por gestores de organizações que já têm utilizado a gamificação, podemos citar:

  • Sensação de autonomia, pois os participantes são capazes de realizar suas próprias escolhas sem que se sintam pressionados;
  • Falhas e equívocos são enfrentados como novas oportunidades de aprendizagem, além de incentivarem os participantes a tentarem algo novo;
  • Aumento do interesse da participação em treinamentos ou aulas;
  • Suporte na resolução de problemas;
  • Aumento da capacidade de absorção de conhecimento, já que envolve o uso prático e teórico simultaneamente;
  • Promoção de um ambiente competitivamente saudável;
  • Fácil disponibilidade, com recursos e equipamentos para toda a equipe;
  • Aplicável em qualquer ocasião ou situação, seja formal ou informal.

Como você pode contemplar neste conteúdo sobre a gamificação na gestão de projetos, esta metodologia oferece uma vasta gama de possibilidades. Abrangendo do treinamento de funcionários para questões cotidianas da empresa até resoluções dos mais complexos cenários dentro de uma organização moderna.

Além disso, observamos alguns pontos cruciais para que a gamificação seja implementada na prática, como: 

  • A definição precisa dos objetivos;
  • O conhecimento prévio a respeito dos participantes; 
  • Alinhamento das regras;
  • A determinação de prêmios e recompensas ao fim dos desafios.

E você, o que acha do uso da gamificação como forma de gerir os projetos de uma empresa de forma dinâmica e divertida? Conta pra gente nos comentários.

Até a próxima!