6 passos para otimizar a tomada de decisão

6 passos para otimizar a tomada de decisão

O processo de tomada de decisão é sempre desafiador. Afinal, é através de escolhas que se definem os rumos do negócio, e elas são sempre repletas de riscos e oportunidades.  

A decisão é parte essencial da gestão. Quando é assertiva, busca solucionar problemas e atingir os objetivos traçados pela organização. E quando falha, pode levar a perdas inestimáveis. 

Portanto, analisar bem o cenário, alinhar as alternativas com o planejamento estratégico e agir de acordo com a base de dados são alguns dos fatores fundamentais para otimizar a tomada de decisão de modo a alcançar bons resultados. 

O que é a tomada de decisão

A tomada de decisão é um importante processo de escolha que define por qual caminho a organização irá seguir para alcançar seus objetivos e metas. 

Como toda escolha tem consequências, antes de tomá-la é preciso avaliar todos os cenários possíveis, positivos e negativos, considerando os interesses da organização em relação ao presente e ao futuro. 

No dia a dia, gestores de empresas já estão habituados à tomada de pequenas decisões, chamadas de decisões programadas. Elas geralmente já possuem um método específico de solução determinado pela companhia. 

Dica: Gestão de Processos: padronizando o seu jeito de fazer

Há também as decisões não programadas, que se referem a situações inesperadas; e as semi programadas, onde parte do problema é inesperado, enquanto outra parte já possui um processo padrão de solução. 

Neste artigo abordaremos a tomada de decisão estratégica, que impacta fortemente nos objetivos do negócio a longo prazo. Dentro dessa categoria existem 5 tipos de decisão. 

Tipos de tomada de decisão

Decisão baseada em valores

Baseada nos valores do gestor, esse tipo de decisão baseia-se na moral individual de cada um em relação aos conceitos de certo e errado, bem como as influências e referências adquiridas durante a vida. 

Decisão baseada em dados

A tomada de decisão baseada em dados é a mais indicada para qualquer negócio que deseje fazer a escolha com mais segurança. 

Por basear-se em informações concretas, os riscos existentes são reduzidos. Possibilitando assim uma chance maior de sucesso. 

Decisão baseada na intuição

Comum na maioria das empresas, esse tipo de decisão baseia-se apenas no “feeling”, tornando-se extremamente suscetível a erros. 

Ao seguir o que a intuição “diz”, pontos lógicos são ignorados e isso pode trazer graves consequências para o negócio, que pode vir a entrar em algo de risco muito alto ou também perder incríveis oportunidades. 

Decisão baseada na lógica

Oposto da anterior, a decisão baseada na lógica utiliza de fatos para realizar a escolha. Normalmente os fatores ou argumentos são listados e refletidos, mas não são baseados em dados. 

Decisão baseada na colaboração  

Quando a decisão é pensada em conjunto, a expertise dos colaboradores de diferentes setores é somada, o que possibilita uma chance maior de acerto. 

Na decisão colaborativa, “brainstorms” podem ser realizados com o objetivo de identificar todos os prós e todos e contras, e assim escolher o que demonstra ser a melhor opção. 

6 Passos para otimizar a tomada de decisão

1. Avalie a situação

O primeiro passo para otimizar a tomada de decisão é reunir todas as informações possíveis, considerar todos os pontos e levantar o maior número de dados e hipóteses.

É necessário entender profundamente como a decisão escolhida afetará não só o negócio, mas também os projetos e os colaboradores da empresa, de modo que seja avaliado o impacto sofrido agora e no futuro. 

Também é fundamental ter conhecimento sobre vários indicadores como custos, prazos, parâmetros de qualidade, dentre outros. 

Utilize de pesquisas de mercado, avaliações e projeções da economia, cenário político, e quaisquer outros canais para obter informações do meio externo também. 

Dica: Business Intelligence: saiba como aplicar na sua empresa

2. Analise as escolhas com atenção

Após a coleta de dados, é necessário realizar a atribuição de valor para que seja possível interpretá-los  com facilidade. Por  isso, utilize ferramentas tecnológicas para fazer o melhor diagnóstico, como softwares de gestão que processam essas informações e oferecem uma ampla visão sobre a empresa.

3. Tenha sempre um plano B

Mesmo com o plano estratégico bem alinhado, a base de dados fortalecida e com todas as hipóteses de riscos levantadas, elaborar um plano B é extremamente importante. 

Imprevistos acontecem e ele pode surgir do modo mais inesperado possível. Até porque, por mais que se consiga ter um certo controle sobre os fatores internos, é impossível controlar todas as condições externas. 

E para que a sua tomada de decisão seja feita de modo mais seguro, considere realizar uma gestão de riscos para identificar as ameaças, elaborar planos de contingência e administrar os recursos disponíveis de modo que seja possível utilizá-los de forma eficiente tanto no plano principal quanto no plano B. 

Com o gerenciamento de riscos também é possível monitorar as ameaças de perto, diminuindo seus possíveis impactos.

Dica: 8 séries sobre gestão, liderança e planejamento

4. Defina a melhor decisão e execute-a

Com a definição da melhor decisão a ser tomada, é hora de elaborar o plano estratégico. Com um plano de ações claro e detalhado, é possível determinar metas e ações que trarão os resultados desejados.  

O planejamento estratégico tem como objetivo principal definir as metas de curto, médio e longo prazo e gerenciar de forma efetiva os recursos disponíveis para cada etapa.

5. Monitore os resultados 

Com a tomada de decisão efetivada, agora é preciso monitorar de perto os impactos e avaliar o cenário constantemente. O objetivo é identificar se as ações planejadas estão sendo suficientes, se é necessária a realização de ajustes e se as metas estão sendo alcançadas no prazo determinado.

Através do monitoramento também é possível implementar melhorias e detectar falhas, agindo rapidamente para neutralizá-las. 

Nesta etapa, o ideal é contar com um software de planejamento estratégico que forneça indicadores de metas e de desempenho, para que seja possível acompanhar o fluxo em tempo real e diminuir as chances de não conseguir atingir os objetivos traçados. 

6. Conte com o auxílio da tecnologia

A tecnologia trouxe a gestão para a era digital e a tomada de decisão é otimizada pois é cada vez mais embasada por dados, tornando as escolhas muito mais precisas. 

Manter dados e informações atualizados e gerar relatórios de valor podem comprometer um tempo valioso do gestor que, por sua vez, pode não conseguir entregá-los rapidamente em situações em que o prazo para a tomada de decisão seja curto. 

Por isso, é fundamental para a saúde do negócio a utilização de um software de gestão que automatize esse processo e facilite o acesso e a obtenção de dados e relatórios em tempo hábil. 

Com a ferramenta ideal, as informações serão muito mais precisas e integradas, os processos de execução dos projetos serão muito mais transparentes e a empresa ainda terá mais segurança no armazenamento de dados. 

O Scopi é um software de planejamento estratégico que integra os projetos e indicadores com o planejamento da empresa, proporcionando uma visão clara e objetiva do todo e de todos. Monitore em tempo real os avanços em relação aos objetivos traçados, analise o cenário interno e externo com o SWOT, avalie os riscos, distribua e monitore os indicadores e as metas, atribua tarefas e monitore o desempenho individual. 

Com o Scopi, é fácil otimizar a tomada de decisão na sua empresa e torná-la mais ágil e assertiva. Clique aqui e agende uma demonstração.