Gestora sofrendo com a Síndrome do Bombeiro

Síndrome do Bombeiro na gestão estratégica

A Síndrome do Bombeiro atinge muitos gestores, principalmente aqueles que perdem muito tempo apagando incêndios. Incêndios que se traduzem em problemas e tarefas que poderiam ser evitadas se houvesse um bom planejamento. Uma das consequências é que o gestor acaba sendo muito operacional e pouco estratégico.

Antes de começar nossa conversa, é bom salientar que honramos a profissão de bombeiro. Apenas recorremos a um jogo de linguagem, que cita o bombeiro, para ilustrar que mais vale prevenir do que remediar, como tantas vezes já ouvimos falar.

O próprio bombeiro prefere trabalhar na prevenção de um incêndio do que apagá-lo. Então por que não adotar o mesmo perfil preventivo no seu negócio, não é mesmo? 

E você, se identifica com a Síndrome do Bombeiro?

Você deve estar se perguntando: será que eu tenho a síndrome do bombeiro?

A Síndrome do Bombeiro é quando você precisa se envolver na solução de problemas, que poderiam ter sido previstos na fase do planejamento. Como não houve planejamento, não houve também a previsão de problemas, que poderiam ter sido evitados.

Como prevalece a cultura de não planejar, a própria solução para o problema que surgiu pela falta de planejamento é tratada sem um planejamento, fazendo com que um novo problema surja.

Na tentativa de resolver um problema, se cria outros. Até que a solução final seja encontrada, muitas tentativas serão realizadas, gerando desperdício de recursos humanos e financeiros, fora a perda de oportunidades.

A maioria dos contratempos que acontecem, existem pela ausência de uma visão e atitude mais estratégica. O planejamento é estratégico consiste em pensar na frente. Primeiro avaliar impactos e ameaças, depois sistematizar o que será feito, em quanto tempo, por quem e a que custo.

É durante esse processo que percebemos algo que parecia ser muito bom, mas na verdade não é tanto assim. Muitas vezes é na fase do planejamento que nos damos conta que uma ação não é viável e a decisão de não realizá-la evita equívocos e retrabalho.

Planejamento Estratégico é um investimento

Tempo é dinheiro e você não pode incorrer no erro de perder ambos quando quer o contrário, ter mais tempo e ganhar mais dinheiro. Apesar de todos os benefícios que um bom planejamento traz, ele ainda é visto muito mais como um custo do que um investimento.

O que é um grande equívoco, pois sem planejamento, não há como enfrentar os imprevistos e as perdas são muito maiores. O tempo investido em planejar, sempre será menor do que aquele de quando se age sem planejamento para conquistar o melhor resultado.

O resultado de desprezar a etapa do planejamento pode vir no curto ou longo prazo. Entregas de trabalhos com atraso, clientes insatisfeitos com a qualidade de seus serviços, entre outras consequências podem, inclusive, afetar a imagem da empresa diante de seus consumidores. É assim que a empresa literalmente “se queima”.

Em suma, a falta do hábito de planejar gera perdas muito maiores a ponto de comprometer a gestão do seu negócio.

Deixe o trabalho do bombeiro para o bombeiro!

As empresas têm muito mais sucesso e reconhecimento quando os seus gestores conseguem romper com a cultura da falta de planejamento e assumem um papel muito mais de engenheiro do que bombeiro.

Criar o hábito de planejar antes de sair fazendo é fundamental para uma organização atingir suas metas e chegar aonde deseja. Se planejar dá trabalho, pagar incêndios dá mais trabalho ainda. É uma questão cultural que pode ser superada com uso de tecnologias especializadas em planejamento.

O Scopi é um software de planejamento estratégico que pode auxiliar sua empresa nessa mudança. Intuitivo e fácil de usar, com ele é possível criar, executar e acompanhar o planejamento estratégico em um só lugar. Dessa forma, sua empresa começa agir de forma preventiva, evitando que incêndios aconteçam o tempo todo.